sábado, 14 de maio de 2011

Como relatar boas lembranças, se o que predomina é sempre o não em minha mente?!
Como pensar sem me nublar, se o que tenho em mim foram apenas poucos bons momentos que nunca voltarão e nem se acrescentarão.
Por que esta desventura parece sempre este círculo vicioso, no qual procuro um nó, uma emenda, e que supostamente não existe.
Por que esta sensação de que nunca vai dar certo, se o que tenho em mim é de sobra a tal da esperança?!
Tempo ao tempo e acho que ele já está passando demais;
Tempo ao tempo e se existisse uma luz, eu teria toda a paciência.
Dia a dia e as lágrimas caem;
Dia a dia e o silêncio é tomado pelas músicas e pelo nome.
Talvez eu devesse ser mais um na multidão;
Talvez eu devesse perder as adiposas que me contornam.
Quem sabe assim me privaria desta saudade que atormenta minhas horas.
Quem sabe assim o verde que me enxerga faria seu tempo de modo que eu estivesse na ampulheta.


3 comentários:

  1. A ultima frase, sem dúvida, fechou com chave de ouro, muito lindo ^^

    ResponderExcluir
  2. Lágrimas correm, muito lindo, Ju.

    ResponderExcluir
  3. Puts, que coisa linda isso, Ju. Parabéns pelo post, ameeeei!!!

    Valeu, gatona.
    Beijo a gorda.

    ResponderExcluir